Desporto

Benfica venceu com prolongamento à porta

2015-10-17 06:48:47 (UTC+01:00)

Foi só aos 90 minutos, e com prolongamento à porta, que o Benfica resolveu uma partida, em que sofreu de forma desnecessária. Por momentos, o Vianense acreditou que seria possível, pelo menos, obrigar a águia a jogar mais 30 minutos.

Mérito para a equipa do Campeonato Nacional de Seniores, mas tudo poderia ter sido diferente se o Benfica não tivesse facilitado um pouco. Sem Gaitán, Jonas e Gonçalo Guedes, por opção, e com Nélson Semedo lesionado, Rui Vitória deu minutos a jogadores menos utilizados contra a formação de Viana do Castelo.

Oportunidades a jogadores que as aproveitaram, como Carcela ou Nuno Santos, titularidade a outros atletas que deixaram a desejar, como Talisca ou Pizzi. O Benfica até começou a todo o gás, com Talisca a não marcar no primeiro minuto só com Jonas Mendes pela frente, mas a primeira parte das águias foi tudo menos intensa.

Contra um adversário muito fechado, os encarnados foram uma equipa sem ideias, algo lenta, sem encontrar brechas na defesa minhota. Valeu ao Benfica um remate fulminante de Carcela, na sequência de um lançamento lateral de Sílvio, titular na ausência de Nélson Semedo.

A segunda parte foi marcada pelo desperdício das águias. Muitas oportunidades falhadas, a maioria paradas por Jonas Mendes, sem esquecer uma bola no poste por parte de Mitroglou. O Benfica foi adiando a decisão do encontro e, aos poucos, o Vianense foi acreditando.

A equipa de Andrés Madrid só fez o primeiro remate a partir dos 70 minutos, numa altura em que conseguiu esticar o jogo. Foi assim que chegou ao empate, num grande golo de Coulibaly. A cena quase se repetiu minutos depois, mas Júlio César parou um remate de Madior.

Com o prolongamento próximo, foi a cabeça de Jardel a dar o apuramento ao Benfica, na sequência de um canto. Os encarnados seguem em frente, bateram um adversário com qualidade, é certo, mas relaxaram demasiado. [FM]