Desporto

Dário alegra alvi-negros diante Ferroviario de Nacala

2015-05-05 07:47:49 (UTC+01:00)

A vitória alcançada na tarde de domingo, pelo Desportivo Maputo, por 1-0, frente ao Ferroviário de Nacala, devolveu a alegria ao clube da água ao peito, após travessia do deserto que durou 540 minutos. Este feito coincidiu com a estreia de Dário Monteiro,

A vitória alcançada na tarde de domingo, pelo Desportivo Maputo, por 1-0, frente ao Ferroviário de Nacala, devolveu a alegria ao clube da água ao peito, após travessia do deserto que durou 540 minutos. Este feito coincidiu com a estreia de Dário Monteiro, no comando técnico da equipa, após o afastamento de Antero Cambaco, anterior timoneiro alvi-negro.

Havia um descrédito total, pois a crise de resultados atingira um ponto em que ninguém a suportava. Os adeptos exigiam uma chicotada psicológica, pois nada de novo saía da antiga equipa técnica. Cristóvão, que começou o jogo no banco de suplentes, foi quem teve a missão espinhosa de marcar o golo que deu alegrias não somente aos adeptos, mas à direcção do clube, mesmo ao novo técnico, que acabou sendo gratificante, ao iniciar nova era com vitória. Esta foi o maior feito da oitava jornada do Moçambola-2015.

O Maxaquene, líder da prova, foi travado na tarde de domingo, pelo Desportivo de Nacala, em Bela Vista, ao terminar o prélio com o nulo a prevalecer. O mesmo aconteceu com o Ferroviário de Maputo que na sua deslocação ao Songo somou apenas um ponto, facto que motiva à equipa visitada.

A Liga Desportiva de Maputo regressou às vitórias, depois de um jejum de duas jornadas consecutivas a empatar, sem abertura do marcador. Desta vez, os comandados de Litos venceram ao Ferroviário de Nampula, por 1-0, a culminar uma partida polémica, causada pela arbitragem cinzenta de Ainad Ussene, bastante contestada pelos aficionados locomotivas, que esperavam pelo melhor desempenho da equipa de arbitragem, tendo em conta o excelente trabalho que Ussene fez na ronda anterior.

Não é só de desaires vivem os adeptos do nosso futebol. A felicidade bateu a porta do Clube do Chibuto, quando esta formação venceu o Ferroviário de Quelimane pelos expressivos 3-0, travando assim a curva descendente que os representantes de Gaza já estavam a descrever.

Em Quelimane, o 1.º de Maio empatou a um golo com o Ferroviário da Beira, num jogo em que todos esperavam pela ressurreição dos beirenses, após a mudança da equipa técnica, com a saída Lucas Barrarijo e entrada de Aleixo Fumo. Por incrível que possa parecer, os “locomotivas” de Chiveve ocupam o último posto, com sete pontos. A jornada começou sábado, com o Costa do Sol a receber e vencer o ENH por 2-0, subindo para o quarto posto.
www.folhademaputo.co.mz
MCM/AM2