Desporto

Jesus prometeu acordar o leão adormecido

2015-08-10 06:41:17 (UTC+01:00)

Jorge Jesus chegou há poucas semanas a Alvalade, prometeu acordar o leão adormecido e nem o primeiro grande desafio da época intimidou os objectivos leoninos.

O Sporting venceu ontem o Benfica por 1-0, conquistando a Supertaça Cândido Oliveira, o primeiro troféu da época 2015/16.

Um rugido com créditos repartidos entre Carrillo e Teo Gutiérrez, que abrilhantaram a primeira presença de Jesus no banco do Sporting em jogos oficiais, estragando, claro está, a estreia de Rui Vitória no comando técnico dos encarnados.

No primeiro "derby" da época que opôs um Benfica com várias surpresas no onze sem Luisão, Jardel e Lisandro formaram dupla de centrais, Sílvio e o jovem Nélson Semedo foram lançados nas alas, Ola John foi opção inicial e um Sporting que não arriscou mudanças (Jesus manteve o onze que derrotou a Roma na partida de apresentação aos adeptos), o reforço colombiano fez dupla com Slimani na frente e revelou-se aposta ganha, tendo participado nos dois lances mais perigosos do Sporting, um dos quais finalizados por Carrillo.

Num jogo intenso e emotivo, marcado por um maior número de iniciativas dos leões, mais organizados, com mais discernimento e com capacidade para criar mais jogadas de perigo junto à área adversária do que o Benfica, com poucas ideias, que optou preferencialmente pelo jogo em profundidade, Teo Gutiérrez poderia ter colocado a equipa na frente do marcador ainda na primeira parte. No entanto, o lance em que o avançado recebeu de peito e fulminou as redes encarnadas, assistido de cabeça por Naldo (na sequência de um canto de Jefferson) foi mal invalidado pelo árbitro, por fora de jogo - antes, já Júlio César (9´e 16’) e Jardel (23’) tinham impedido o Sporting de mexer no resultado, e pelo Benfica, as ameaças tiveram assinatura de Jonas e Ola John. Mas não se pode queixar o leão, já que na segunda parte também uma falta de Carrillo sobre Gaitán na área não foi sancionada (60).

Mais tarde, Teo Gutiérrez ajudaria Carrillo a ser o herói do jogo: depois de uma entrada a todo gás da equipa na segunda parte, o avançado colombiano desviou ligeiramente um remate de meia distância do extremo peruano, que colocou o esférico no fundo da baliza, abrindo caminho aos festejos.

Rui Vitória tentou a reviravolta, lançou Mitroglou, mas o avançado grego "desviado" à última hora da rota de Alvalade, não ameaçou o resultado. Lisandro ainda dispôs de ocasiões, mas nada que desviasse o leão de erguer a oitava Supertaça da sua história. A primeira da era Jesus. [FM]