Desporto

Messi acusado de apoiar ditadura no Gabão

2015-08-03 08:23:38 (UTC+01:00)

A recente visita de Lionel Messi ao Gabão continua a dar que falar. Agora foi a ‘Human Rights Foundation’ (Organização Não-Governamental) que criticou a viagem do astro argentino no passado dia 17 de Julho.

"Lionel Messi prejudicou seriamente a credibilidade da sua própria Fundação ao colocar-se ao lado da família Bongo e servir como instrumento de relações públicas desta cruel e corrupta ditadura", pode ler-se num comunicado do presidente daquela ONG, Thor Halvorssen.

"É perturbador e incoerente que Messi, que apoia os direitos das crianças e é embaixador da UNICEF, tenha alimentado a propaganda de um regime cleptocrático, que se recusa a investigar crimes horrendos, entre eles, rituais onde crianças são sacrificadas", acrescentou.

Por sua vez, Alex Gladstein, director de estratégia da ‘Human Rights Foundation’ considerou "surpreendente que os representantes de Messi e o próprio atleta tenham decidido colocar o seu prestígio ao serviço de um violador dos direitos humanos".

Lionel Messi, recorde-se, viajou até ao Gabão com o objectivo de promover o Campeonato Africano das Nações 2017, que se realizará naquele país africano. [FM]