Desporto

“Não tenho medo de ser despedido” Mano-Mano

2015-06-16 11:33:10 (UTC+01:00)

O seleccionador interino dos “Mambas”, Mano-Mano, diz ter sido apanhado de surpresa com a notícia da demissão de João Chissano e consequentemente ser indicado como seu substituto.

MAPUTO- “Foi uma surpresa para mim. Fui reunido pelo presidente e vice-presidente da FMF para me proporem o cargo de seleccionador interino. Não tive outra saída senão aceitar o convite, até porque tive a anuência do próprio João Chissano, amigo de infância e pessoa que me levou à Selecção Nacional”, avançou.

Mano-Mano diz não temer sair da mesma porta como a que saiu João Chissano, e justifica: “Não tenho medo de ser despedido, é uma coisa natural. Estou no futebol há muitos anos e tenho experiência disso. No futebol vive-se de desafios e eu abracei este e antes de aceitá-lo conferenciei com o João”, explicou.

Em relação ao jogo com as Seychelles Mano-Mano afirmou que o objectivo é devolver a alegria ao povo, depois da decepção frente ao Ruanda. “Temos de fazer tudo para a vitória por forma a devolvermos o sorriso aos amantes do futebol. Penso que o facto de o jogo ser na Beira é uma mais-valia para nós, pois em Maputo há um desgaste provocado pela derrota de domingo frente ao Ruanda, assim fugimos um pouco da pressão”, vaticina. [FM]