Internacional

Burkina Faso: líder golpista negocia termos da sua rendição

2015-10-02 04:52:08 (UTC+01:00)

O líder do fracassado golpe de Estado no Burkina Faso, General Gilbert Diendéré, está refugiado num complexo diplomático em Ouagadougou, onde negocia “intensamente” os termos da sua rendição.

O General Diendéré estaria, segundo algumas fontes, “entrincheirado” na Embaixada do Vaticano em Ouagadougou desde a noite de terça-feira.

Segundo escreveu ontem a “Jeune Afrique” (JA), citando um fonte que “joga um papel importante” nas discussões em curso, o ex-líder golpista exige pelos canais diplomáticos garantias de segurança para ele e para a sua família.

De preferência, indica a fonte da JA, ele gostaria de ir para o estrangeiro “até que a tensão baixe”, retornando mais tarde ao país para responder pelos seus actos diante da Justiça.

Fontes diplomáticas indicam que aquela não é uma saída possível. O mais provável é Diendéré ser colocado sob prisão domiciliária para escapar da possível “sentença” popular.

De acordo com as mesmas fontes, o antigo braço direito de Blaise Compaoré reivindica para si o mérito de não ter havido “um banho de sangue” no assalto das tropas lealistas ao quartel de Naaba Koom (então reduto do Regimento de Segurança Presidencial, RSP). Segundo afirmou, ele apelou aos seus homens para deporem as armas minutos antes do ataque, na noite de terça-feira.

E repete também o que disse nos últimos dias: ele não é líder dos elementos mais radicais do RSP, mas “apenas” desempenhou o papel de “mediador” entre as duas facções da antiga Guarda Presidencial.

O Vaticano não confirma a presença de Gilbert Diendéré na sua embaixada, mas o acesso à missão diplomática está há dois dias interdito ao público e é guardado por vários veículos da Polícia e do Exército, incluindo blindados.

Diversas fontes afirmam que o general não está no mesmo local que a sua esposa e filhos, que estariam também em um “lugar seguro”, certamente uma outra missão diplomático. [FM]