Internacional

Burundi: chefe de Estado Maior escapa a uma tentativa de assassinato

2015-09-12 07:05:37 (UTC+01:00)

O chefe de Estado Maior do Exército do Burundi escapou ontem a uma tentativa de assassinato na capital Bujumbura, num atentado que fez pelo menos sete mortos.

“Houve um ataque contra o chefe das Forças Armadas, general Prime Niyongabo, mas felizmente não ficou ferido”, disse o chefe da Polícia, Godefroid Bizimana, à Agência de notícias francesa France Presse (AFP).

A tentativa de assassinato do general segue-se a uma longa lista de ataques contra integrantes do alto escalão do partido governamental Conselho Nacional para a Defesa da Democracia (CNDD-FDD) e de figuras relevantes da oposição, no que parece “vendetta” (uma círculo de vinganças).

Nas últimas semanas morreram o ex-coronel do Exército do Burundi e chefe do Estado-Maior durante a guerra civil (1993-2005), Jean Bikomagu, o ex-chefe de Inteligência do Burundi e homem de confiança do Presidente Nkurunziza, Adolphe Nshimirimana.

Do lado dos críticos do regime contam-se líderes da oposição mortos e o activista Pierre Claver Mbonimpa, ferido gravemente no dia 3 Agosto. Ainda na última segunda-feira (7) foi assassinado a tiro o porta-voz da União pela Paz e Democracia (UPD), um pequeno partido da oposição, cujo líder, Zedi Feruzi, foi morto juntamente com o seu guarda-costas em Maio.

O Burundi mergulhou numa crise política que ameaça resvalar para conflito armado, desde que em finais de Abril Pierre Nkurunziza anunciou a sua candidatura à eleição presidencial que a 21 de Julho lhe deu o seu terceiro mandato.

Mais de 160 mil pessoas fugiram do Burundi por medo da repressão política e buscaram refúgio no Ruanda, Tanzania e República Democrática do Congo, segundo dados do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). [FM]