Internacional

Cerca de 18 mil nigerianos refugiram para o Chade

2015-05-22 06:33:43 (UTC+01:00)

Cerca de 18 mil nigerianos refugiaram-se na região do Lago do Chade, na fronteira do Chade com a Nigéria, na sua fuga aos islamitas do Boko Haram, segundo informou a organização Médico Sem Fronteiras (MSF).

Desde os ataques do grupo radical Boko Haram no nordeste da Nigéria, em Janeiro deste ano, mais de 18 mil nigerianos fugiram das suas casas rumo ao país vizinho.

Um dos locais no Chade que abriga parte da população de refugiados é o campo de Dar-es-Salaam que dista 12 quilómetros da cidade de Baga Sola. Este campo abriga 5000 refugiados, segundo dados da MSF, que está na região desde Março último prestando assistência a essas pessoas.

Uma das refugiadas é Hadza El-Hagizegri, que saiu da sua aldeia próximo de Baga, na Nigéria, em Janeiro. Ela estava no quinto mês de gestação e deu à luz no campo.

Os ataques do Boko Haram no Chade, em Fevereiro último, especialmente na cidade de Ngouboua, também ameaçaram os próprios chadianos, que foram forçados a deslocar-se a outras cidades da região. De acordo com a MSF, cerca de 13 mil deixaram os seus lares.

Yakah Mamadou é uma das deslocadas após a acção do Boko Haram em Ngouboua. “A vila foi incendiada e as pessoas mortas. Decidi fugir para ficar com a família da minha filha em Forkouloum. Aqui a situação de segurança é melhor”, disse à organização.

Desde o início de 2014, o Boko Haram matou mais cinco mil civis em 300 invasões e ataques durante o seu avanço, segundo a Amnistia Internacional (AI). O grupo actua principalmente no nordeste da Nigéria, onde, até há poucas semanas, controlava a maior parte dos Estados de Borno, Adamawa e Yobe. [FM]