Internacional

Especialistas militares russos estão a actuar na Síria

2015-09-10 08:51:27 (UTC+01:00)

Moscovo confirmou ontem que especialistas militares russos estão a actuar na Síria, mas somente dando conselhos ao regime do Presidente Bashar Al-Assad, segundo noticiou a RFI, citando uma declaração do ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov.

A suspeita de uma intervenção militar terrestre russa na Síria começou após a postagem de numerosos “selfies” de soldados russos no Facebook, mostrando jovens militares no país, contentes em frente da bandeira síria ou do retrato de Al-Assad.

Além disso, o tráfego de aviões militares de carga e transporte de passageiros russos para a Síria intensificou-se nos últimos dias, preocupando o Ocidente. A Bulgária, que integra a NATO, chegou a recusar que aeronaves russas atravessassem seu espaço aéreo e os Estados Unidos pediram a Grécia para fazer o mesmo.

Como na Ucrânia com os separatistas, tudo indica que os militares russos tentam dar um apoio discreto, mas precioso ao regime de Damasco.

Temendo uma escalada do conflito, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, chegou a ligar para o seu homólogo russo no último fim-de-semana. Moscovo não esconde que abastece em armas e equipamentos militares o aliado sírio e, por enquanto, só confirma a presença de especialistas no terreno, mas não de tropas.

No entanto, Lavrov afirmou ontem que, se necessário, a Rússia pode tomar “outras medidas para combater o terrorismo na Síria”.

O regime de Damasco desmentiu a presença das tropas ou de actividades militares russas em solo sírio, depois de conhecidas as inquietações norte-americanas sobre um eventual envolvimento de Moscovo no país em guerra.

O secretário-geral da NATO também manifestou na terça-feira (08) a sua “inquietação” sobre um reforço do envolvimento militar da Rússia na Síria, e advertiu que um reforço do apoio ao regime de Damasco implicará uma escalada do conflito.

“Estou muito inquieto com as informações de que a Rússia poderá ter enviado pessoal militar e aviões para a Síria”, declarou na sua página do Facebook. [FM]