Internacional

Exército da África do Sul pretende recrutar mais brancos

2015-06-15 06:48:32 (UTC+01:00)

O Exército da África do Sul pretende recrutar mais brancos, para corrigir a tendência de recrutamento da esmagadora maioria negra, duas décadas depois de deixar de ser o garante do domínio branco no país.

“Devemos estar alerta para que o nosso Exército não esteja dominado desproporcionadamente por uma única raça”, disse o chefe do Exército, o tenente-general Vusi Masondo, citado no final da semana pelos “media” locais.

O plano para voltar a atrair os brancos para o Exército visa aproveitar a melhor formação deste grupo étnico privilegiado para enfrentar o défice de pessoal qualificado.

“Quando vejo os novos ingressos no Exército, os jovens, vejo que se podem contar pelos dedos os jovens brancos que entram”, declarou Masondo.

O general explicou que os esforços para a integração da maioria negra no Exército levaram a que este grupo racial domine as altas hierarquias das forças armadas.

Segundo o Instituto de Relações Raciais sul-africano, os brancos representam 14 por cento do total dos soldados. O plano do Ministério da Defesa é aumentar a percentagem para 24 por cento em cinco anos.

As estatísticas oficiais indicam que os brancos representam 8,2 por cento da população sul-africana, que é 80 por cento negra.

As intenções do Ministério da Defesa contrastam com o que ocorre noutros sectores da vida pública, cujas posições de alto nível ainda são ocupadas por brancos, fenómeno contra o qual lutam as autoridades.

Grupos de pressão da minoria branca denunciam habitualmente as tentativas do Governo do Congresso Nacional Africano para reduzir o seu peso na Justiça, na Polícia, no funcionalismo e nos “media” públicos. [FM]