Internacional

Fome pode matar mais de 30 mil pessoas no Sudão do Sul

2015-10-23 03:51:29 (UTC+01:00)

Mais de 30 mil pessoas nas zonas de guerra do Sudão do Sul correm o risco de morrer de fome, informou a ONU.

Apesar do estado oficial de fome não ter sido declarado, pelo menos 30 mil pessoas vivem "em condições extremas e enfrentam fome e morte", depois de 22 meses de guerra civil, informa um comunicado conjunto de três agências das Nações Unidas - o UNICEF (Infância), a FAO (Agricultura e Alimentação) e o PMA (Programa Mundial de Alimentos).

As regiões mais afectadas, onde ocorrem os combates mais violentos, estupros e sequestros de mulheres e crianças, não têm acesso a ajuda humanitária, denuncia o comunicado.

O Sudão do Sul é cenário desde Dezembro de 2013 de uma guerra entre exército regular, leal ao presidente Salva Kiir, e uma rebelião dirigida pelo seu ex-vice-presidente, Riek Machar.

De acordo com as Nações Unidas, o conflito já provocou a morte de dezenas de milhares de pessoas e mais de dois milhões de deslocados, que procuraram refúgio na Etiópia, Quénia e Sudão.

Desde o início da guerra civil, foram já assinados nove acordos de cessar-fogo e nenhum foi respeitado. [FM]