Internacional

Homem-bomba mata fieis numa igreja na Nigéria

2015-07-06 05:19:27 (UTC+01:00)

Um homem-bomba atacou ontem uma igreja na Nigéria, coroando uma semana em que mais de 200 pessoas morreram na violência supostamente do Boko Haram.

O homem-suicida detonou os explosivos que trazia presos, matando uma mulher e os seus dois filhos, bem como o pastor e outro fiel. O ataque aconteceu numa igreja cristã dos arredores de Potiskum, no Estado de Yobe, nordeste da Nigéria.

O uso de dispositivos explosivos improvisados e atentados suicidas aumentou na Nigéria desde 29 de Maio, quando o Presidente Muhammadu Buhari tomou posse, prometendo combater a rebelião.

Mas nos últimos sete dias foram realmente violentos, com vários ataques atribuídos ao grupo radical Boko Haram.

No sábado fontes do Exército nigeriano e testemunhas disseram que dezenas de pessoas morreram quando um grupo de pelo menos seis mulheres bombistas-suicidas fizeram-se explodir no meio de populares que fugiam de um ataque do Boko Haram no Estado nigeriano de Borno.

O ataque ocorreu na sexta-feira à noite na aldeia de Zabarmari, a cerca de 10 quilómetros de Maiguduri, “cidade berço” do grupo radical no nordeste da Nigéria.

Haladu Musa, um habitante, disse à Agência France Presse (AFP) que “um grande número” de combatentes entrou na aldeia e conseguiu dominar as forças governamentais ali estacionadas para os impedir de tomar Maiguduri. “Os soldados foram obrigados a retirar”, disse.

A população tentou então fugir e as bombistas-suicidas accionaram os explosivos matando várias dezenas de pessoas, acrescentou.

Segundo Musa, os combatentes do grupo radical saquearam e incendiaram “quase metade da aldeia” antes de serem repelidos pelos reforços, entretanto, enviados pelo Exército.

O Presidente Buhari, falando na sexta-feira, considerou de uma “atrocidade hedionda” esta mais recente onda de violência do Boko Haram. [FM]