Internacional

Kaboré reeleito nas presidenciais no Burkina Faso

2020-11-27 04:29:31 (UTC+00:00)

O Presidente cessante do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, venceu as eleições presidenciais de domingo com 57,87% dos votos, informou ontem a Comissão Nacional Eleitoral Independente (CENI).

Kaboré, que conseguiu, assim, um segundo mandato de cinco anos, derrotou 12 candidatos, incluindo Eddie Komboigo, do Congresso para a Democracia e o Progresso (CDP) - partido do antigo presidente Blaise Compaoré, que esteve no poder durante 27 anos até ser derrubado pela revolta popular de outubro de 2014 -, que obteve 15,48% dos votos.

"O Senhor Roch Christian Marc Kaboré, com 57,87% dos votos é declarado, provisoriamente, eleito na primeira volta como Presidente do Burkina Faso", afirmou hoje o presidente da Comissão Eleitoral Independente (CENI), Newton Ahmed Barry.

Eddie Komboigo, candidato do partido do ex-presidente Blaise Compaoré, ficou em segundo lugar, com 15,48% dos votos, à frente de Zéphirin Diabré (12,46%), considerado o líder da oposição até agora.

O Burkina Faso, um país da região do Sahel, pobre e sem litoral, com 20,3 milhões de habitantes, tem sido alvo, desde 2015, de ataques 'jihadistas' recorrentes que já causaram pelo menos 1.200 mortos e mais de um milhão de deslocados internos.

De acordo com os números apresentados pela CENI, o número de eleitores nestas eleições presidenciais baixou de 6.490.662 para 5.893.4000 devido à não abertura de cerca de 1.300 mesas de voto, por causa da insegurança provocada pelos grupos 'jihadistas'. Além disso, cerca de 800 outras mesas de voto, que deveriam ter sido abertas, permaneceram encerradas.

O clã presidencial tinha previsto, como em 2015, uma vitória na primeira volta destas eleições, consideradas como as mais abertas da história do Burkina Faso, que assistiu a múltiplos golpes de Estado desde a sua independência.

A oposição disse na segunda-feira que considerava que as eleições, realizadas pacificamente apesar da ameaça de ataques 'jihadistas', são fraudulentas e sublinhou que não aceitaria os resultados.

"É absolutamente inconcebível, depois de termos viajado por todo o Burkina Faso, acreditávamos que iríamos ser os vencedores à primeira volta", disse Zéphirin Diabré.

Quaisquer recursos devem ser apresentados ao Conselho Constitucional ou ao Conselho de Estado, no prazo de sete dias após o anúncio dos resultados.

O Conselho Constitucional ou o Conselho de Estado deve proclamar os resultados finais no prazo de 15 dias após ter expirado o prazo para os recursos.