Internacional

Kerry em Havana para içar bandeira americana

2015-08-14 07:30:58 (UTC+01:00)

O Secretário de Estado norte-americano estará hoje, em Cuba, numa visita histórica que pretende reforçar o diálogo diplomático recentemente iniciado com Havana, mas que também mostra os grandes assuntos que continuam pendentes entre os dois países.

O Secretário de Estado norte-americano estará hoje, em Cuba, numa visita histórica que pretende reforçar o diálogo diplomático recentemente iniciado com Havana, mas que também mostra os grandes assuntos que continuam pendentes entre os dois países.

Quando chegar a Havana, John Kerry irá tornar-se no primeiro chefe da Diplomacia norte-americana a visitar a ilha caribenha em 70 anos, desde 1945.

Durante a breve visita à capital cubana – o secretário de Estado norte-americano vai e regressa no mesmo dia -, Kerry irá presidir à cerimónia do içar da bandeira da embaixada dos Estados Unidos, algo que não acontece há 56 anos.

“A cerimónia de 14 de Agosto (hoje) não significa o fim das diferenças que separam os dois governos, mas reflecte a realidade de que a Guerra Fria acabou há muito tempo e que o diálogo é melhor que o distanciamento”, afirmou, citado pela agência espanhola EFE, o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Mark Toner.

O próprio John Kerry afirmou, em Julho último, que os EUA desejam manter “relações de boa vizinhança” com Cuba, tendo admitido, na mesma ocasião, que a normalização total das relações entre os dois países será “longa e complexa”.

A visita de Kerry a Havana é o culminar de um processo que deu os primeiros passos a 17 de Dezembro de 2014, dia em que os Presidentes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respectivamente, anunciaram ao mundo, em simultâneo, que os dois países iam iniciar negociações para o restabelecimento de relações diplomáticas, que estavam suspensas desde 1961.

Após vários meses de conversações, Obama e Castro confirmaram, a 1 de Julho deste ano, o restabelecimento das relações diplomáticas e a abertura de embaixadas, medida que se tornaria uma realidade alguns dias mais tarde. [FM]