Internacional

Mais de 30 mil mineiros em greve na África do Sul

2015-10-06 06:23:37 (UTC+01:00)

Mais de 30 mil mineiros sul-africanos entraram no domingo, em greve por tempo ilimitado, após fracassarem as negociações sobre os salários na indústria do carvão.

“Tomámos a decisão de entrar em greve porque chegámos a um impasse”, disse a agência France Presse Livhuwani Mammburu, o porta-voz do maior sindicato sul-africano dos mineiros, NUM.

“Nós continuaremos (a greve) indefinidamente até que as duas partes cheguem a um acordo e resolvam os seus pontos de vista”, adiantou.

A greve envolve as sociedades anglo-suíça Glencore, a britânica Anglo -American e a sul-africana Exxaro.

A Glencore, um gigante do negócio das matérias-primas e com sede na Suíça, suprimiu centenas de postos de trabalho desde o início do ano, com vista a reduzir os custos.

Além disso, em Agosto a empresa anunciou ter colocado a sua mina de carvão Optimum sob protecção de uma lei sobre as falências.

A Optimum alegou que teve de entregar o carvão à companhia nacional de electricidade Eskom abaixo do preço do mercado, em virtude de um acordo assinado em 1993 com a Eskom.

O NUM reivindica o aumento dos salários de 13 a 14 por cento, mas ao fim de três meses de negociações, o sindicato não alcançou mais do que metade do que reclama.

“Fazer uma greve é o único meio dos trabalhadores para expressar o seu descontentamento face às propostas”, explicou Mammburu. [FM]