Internacional

Mais de três milhões de assinaturas para o 3º mandato de Kagame

2015-06-22 12:38:37 (UTC+01:00)

As autoridades ruandesas apresentaram uma lista de cerca de 3.6 milhões de assinaturas para uma revisão constitucional que abra caminho a um terceiro mandato do Presidente Paul Kagame.

Agora, quando o Parlamento se prepara para analisar essa emenda, surgem suspeitas sobre as condições de liberdade como essas subscrições foram obtidas.

Eleito em 2003 e 2010 e teoricamente não pode concorrer novamente em 2017, Paul Kagame mantém-se ainda evasivo sobre um terceiro mandato, repetindo que a decisão pertence ao povo.

Recentemente as autoridades anunciaram que foi submetido ao Parlamento uma petição na qual cerca de 3.6 milhões de ruandesas, mais de metade dos seis milhões de eleitores do país, pedem a alteração do artigo 101 da Carta Magna que limita a dois os mandatos presidenciais de sete anos, porque querem ainda Kagame no poder.

Segundo a Rádio França Internacional (RFI), alguns testemunhos lançam um clima de suspeição sobre estas petições em massa e falam de um movimento bem organizado de recolha de assinaturas e de um ambiente de medo.

Um ruandês que não quis se identificar disse ter ficado surpreendido quando responsáveis da sua cooperativa fizeram circular a petição.

“Os dirigentes desses grupos (promotores da petição) são membros do partido no poder, temos medo deles”, disse.

Outros testemunhos recolhidos pela RFI relatam uma campanha porta-a-porta das autoridades locais nos distritos por assinaturas pelo terceiro mandato de Kagame.

Um habitante de Kigali diz que assinou a petição por medo de ser rotulado como inimigo do Estado.

O Governo e do partido no poder negam formalmente qualquer coerção, repetindo que as 3.6 milhões de assinaturas reflectem um verdadeiro apelo popular para a continuação de Paul Kagame na presidência. [FM]