Internacional

Manifestantes em conflito com a Eskom ameaçam incendiar museu Nelson Mandela

2015-05-08 12:02:44 (UTC+01:00)

Os manifestantes em conflito com a empresa nacional de electricidade Eskom concentraram-se ontem, na rua do Soweto onde viveu Nelson Mandela, e ameaçaram incendiar a sua antiga casa transformada em museu.

A rua Vilakazi, onde também viveu o arcebispo Desmond Tutu, outro Nobel da Paz sul-africano, é a principal atracção do Soweto, no subúrbio de Joanesburgo.

“Pessoas juntaram-se às primeiras horas do dia e ameaçaram incendiar o Museu Mandela e o vizinho restaurante Sakhumzi, na rua Vilakazi”, disse à Agência France Presse (APF) a porta-voz da Polícia Edna Mamonyane.

Segundo a Agência Lusa, os manifestantes, que queimaram pneus e lixo, querem que a empresa pública Eskom acabe com um sistema de pré-pagamento da electricidade e estabeleça um valor fixo sem relação com o consumo, o que a companhia recusa.

A Polícia, que isolou a área impedindo o acesso de turistas, disse que os manifestantes tinham sido dispersados.

As manifestações para exigir melhores serviços públicos são frequentes nas zonas mais pobres da África do Sul e por vezes dão origem a motins.

Visando acabar com os maus pagadores, a Eskom ameaçou cortar a corrente aos municípios que lhes compram electricidade a grosso e que não regularizam as contas, e quer generalizar o pré-pagamento nas zonas desfavorecidas, onde numerosos habitantes têm o hábito de não pagar.

[FM- FOLHA DE MAPUTO]