Internacional

Não haverá eleições hoje no Burundi

2015-06-05 06:25:21 (UTC+01:00)

O Burundi ainda está à espera do novo calendário eleitoral, mas uma coisa é certa: não haverá eleições hoje. Isto foi confirmado na noite da última quarta-feira à RFI pela presidência burundesa.

O Burundi ainda está à espera do novo calendário eleitoral, mas uma coisa é certa: não haverá eleições hoje. Isto foi confirmado na noite da última quarta-feira à RFI pela presidência burundesa em respeito às recomendações da Comunidade da África Oriental (EAC).

Um atraso de pelo menos um mês e meio é o que fora pedido pelos chefes de Estado da EAC reunidos domingo (31 de Maio) em cimeira, em Dar-es-Salaam, Tanzânia. Por enquanto, não há nenhum novo calendário, disse Willy Nyamitwe, assessor de comunicação do Presidente Pierre Nkurunziza.

"É absolutamente certo de que não haverá eleições nesta sexta-feira (hoje, dia 5 de Junho) porque o Burundi deve respeitar a solicitação da cimeira de Dar-es-Salaam, tendo em conta os prazos constitucionais”, confirmou Nyamitwe, acrescentando: “Como a Comissão Eleitoral Nacional Independente é um órgão técnico responsável pela realização de todas as actividades relacionadas com as eleições, esperamos que este organismo possa dar o seu parecer definitivo sobre as datas prováveis para as próximas eleições municipais e parlamentares. "

Mas a CENI atira a responsabilidade nesta matéria à presidência da República. “Nós (comissão eleitoral) limitamo-nos a propor um calendário eleitoral, mas a convocação de eleições é feita por decreto presidencial”, disse ontem Prosper Ntahorwamiye, porta-voz da CENI em entrevista à “Jeune Afrique” (JA).

No debate sobre o adiamento das eleições, as autoridades de Bujumbura têm insistido no respeito dos prazos constitucionais. Segundo observadores, o governo procura evitar o vazio de poder que forçaria uma a um governo de unidade nacional.

Mas para a EAC, o objectivo do adiamento é, acima de tudo, para permitir o estabelecimento de condições para a realização de eleições democráticas e credíveis no país.

O Burundi vive em turbulência política desde finais de Abril deste ano, quando o Presidente Nkurunziza apresentou a sua candidatura para as eleições presidenciais que estavam previstas para o próximo dia 26, nas quais ele poderia ganhar o terceiro mandato. [FM]