Internacional

Omar al-Bashir detido na África do Sul

2015-06-14 15:33:13 (UTC+01:00)

Na sua chegada à África do Sul para participar de cimeira da União Africana, Omar al-Bashir, presidente do Sudão, é detido por ordem judicial e não pode deixar o país até que se decida sobre sua prisão.

MAPUTO - Um tribunal em Pretória determinou neste domingo (14/06) que o presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, não pode deixar a África do Sul até que se decida sobre a prisão do chefe de Estado sudanês. Ele é procurado por crimes de guerra e contra humanidade.


Desde 2009, Omar al-Bashir é procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por crimes de guerra e contra a humanidade cometidos em 2003 durante o conflito em Darfur.

O TPI havia apelado às autoridades sul-africanas para deter o presidente do Sudão, que chegou à Johanesburgo neste domingo para participar de uma cúpula da União Africana (UA).

Al-Bashir ainda não foi visto em público na África do Sul. E as autoridades se recusaram a confirmar sua chegada para participar da cúpula de dois dias, mas a televisão sul-africana afirmou que o presidente sudanês foi saudado pelas autoridades do país e sudanesas. A agência de notícias estatal do Sudão também confirmou a visita.

ISOLADO INTERNACIONALMENTE

Mais de 300 mil pessoas morreram e cerca de 2,5 milhões tiveram de deixar suas casas devido ao conflito étnico-cultural que abala a região de Darfur, no oeste do país, desde 2003. Cartum, por outro lado, estima que o número de mortos do conflito não ultrapassa 10 mil.

Há anos que o Sudão está isolado internacionalmente. Desde 1997, o país é alvo de um embargo económico dos EUA devido às alegadas violações dos direitos humanos e ligações ao terrorismo. No início dos anos 1990, o governo em Cartum abrigou por cinco anos o ex-líder da Al Qaeda, Osama bin Laden.

Além dos conflitos armados que afectam metade dos seus 18 estados, o Sudão perdeu cerca de 75% dos seus recursos petrolíferos com a secessão do sul, que se tornou o Estado do Sudão do Sul em 2011.[MCM]