Internacional

Oposição congolesa considera que Nguesso sofreu “uma humilhação”

2015-10-27 06:11:06 (UTC+00:00)

A consulta popular de domingo na República do Congo, destinada a permitir a candidatura do Presidente Denis Sassou Nguesso a um terceiro mandato em 2016, foi marcada por uma fraca participação eleitoral.

A oposição considerou que o chefe de Estado sofreu “uma humilhação”. O referendo não teve filas de espera na capital, de acordo com a Rádio França Internacional, e o cenário teria sido o mesmo no resto do país.

A taxa de participação dos eleitores na consulta popular do Congo-Brazzaville teria ficado nos 10 por cento, de acordo com o líder da oposição Pascal Tsaty Mabiala, que considerou que o Presidente Sassou Nguesso sofreu “uma humilhação” nas urnas e que “os congoleses recusaram votar”.

Os opositores ao chefe de Estado tinham pedido aos eleitores para não votarem, denunciando um “golpe de Estado constitucional”.

Os eleitores deveriam referendar um projecto de alteração constitucional para permitir, em 2016, a candidatura a um terceiro mandato do Presidente Denis Sassou Nguesso, de 71 anos e há 30 no poder. A Constituição congolesa de 2002 prevê um limite de dois mandatos presidenciais e exclui os candidatos de mais de 70 anos. Por isso, os congoleses foram chamados a pronunciar-se sobre a possibilidade de “renovar duas vezes” o mandato presidencial e de anular o limite de idade dos candidatos.

Denis Sassou Nguesso foi presidente entre 1979-1992, regressou ao poder em 1997 depois de uma guerra civil, foi eleito em 2002 e reeleito em 2009. [FM]