Internacional

Parlamento líbio rejeita Governo de Unidade Nacional

2015-10-21 06:01:20 (UTC+01:00)

O Parlamento líbio internacionalmente reconhecido rejeitou a proposta das Nações Unidas para um Governo de unidade, anunciaram na segunda-feira membros da assembleia, o que constitui um golpe aos esforços para acabar com uma crise política no país.

A ONU propôs no início deste mês um Governo de unidade nacional (GUN) para as facções em guerra na Líbia, sugerindo seis candidatos para os principais cargos.

Depois da Assembleia “rebelde” baseada em Tripoli ter, há uma semana, rejeitado a proposta, é agora o Parlamento sediado em Tobrouk, leste do país, que anuncia a sua recusa.

As autoridades líbias de Tobrouk prometem, contudo, continuar a participar das negociações de paz organizadas pela ONU.

A posição do Parlamento internacionalmente reconhecido foi anunciada no mesmo dia que os Estados Unidos, a União Europeia e uma coligação de países árabes exigiram às partes em conflito na Líbia para aprovarem e aplicarem de “imediato” o acordo para a criação de um GUN.

“As partes em diálogo enfrentam uma difícil escolha. Podem atrasar a aprovação do texto e anexos ou tentar novas alterações e pôr em perigo a estabilidade do país”, referem numa declaração conjunta aqueles países.

Segundo os chefes da Diplomacia dos EUA, Argélia, França, Alemanha, Itália, Marrocos, Qatar, Espanha, Tunísia, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e a comissária para as Relações Externas da UE, o acordo vai “proporcionar um período de estabilidade no país até que uma nova Constituição possa ser aprovada”.

Assim, concluem, “instamos todos os participantes no diálogo a aproveitar a oportunidade para pôr fim à instabilidade com a aprovação e a fiel implementação do acordo político sem introduzir novas modificações”.

No último sábado, o Conselho de Segurança (CS) da ONU avisou que poderá impôr sanções contra aqueles que bloquearem um acordo de paz para a Líbia. [FM]