Internacional

Polícia sul-africana dispara granadas contra estudantes

2015-10-29 03:57:09 (UTC+00:00)

A polícia sul-africana disparou granadas de efeito moral e prendeu um estudante durante confrontos na Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, ontem, quando os protestos que reivindicam ensino superior gratuito entraram na terceira semana

As aulas e provas vêm sofrendo interrupções em várias universidades, e muitas permanecem fechadas, embora na semana passada o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, tenha cedido às exigências dos estudantes para que as mensalidades não sejam aumentadas no ano que vem.

As manifestações contra o aumento começaram na universidade de Witwatersrand, conhecida como “Wits”, no dia 13 de Outubro, e se espalharam para outras faculdades em todo o país.

Alguns alunos da Wits exigem educação superior gratuita, além de melhores condições para funcionários das universidades.

“A maioria dos estudantes retomou o calendário académico. Temos cerca de 30 estudantes a protestar ao redor do campus desde a manhã”, disse Shirona Patel, porta-voz da Universidade Wits.

Shirona afirmou que a polícia teve permissão de entrar no campus para conter os manifestantes.

Suspeita-se que alguns tenham incendiado uma livraria de terça para quarta-feira, relatou a media local.

Os protestos sobre o custo da educação universitária, proibitiva para muitos negros, enfatizam a frustração com as desigualdades que persistem duas décadas após o fim do Apartheid.

A campanha pareceu chegar ao clímax na última sexta-feira, quando a polícia usou balas de borracha e gás lacrimogéneo contra os alunos que a alvejavam com pedras nas proximidades dos Edifícios da União, a sede do governo na cidade de Pretória. [FM]