Internacional

Presidente do Burundi não consegue regressar ao país

2015-05-14 15:41:06 (UTC+01:00)

O Presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, não conseguiu ainda regressar ao país, depois de notícias de que militares aproveitaram a sua ausência para levar a cabo um golpe de Estado que, segundo as autoridades, falhou.

Mas havia relatos de fortes confrontos durante a noite e madrugada entre militares leais ao Presidente e outros que apoiam o golpe, segundo a BBC.

Nkurunziza estava na Tanzânia numa cimeira de países da África Oriental dedicada à crise política no Burundi, e no regresso o seu avião não conseguiu aterrar porque o aeroporto tinha sido fechado para impedir a sua chegada. O avião voltou atrás, aparentemente, para Dar es Salaam.

O golpe foi anunciado por Godefroid Niyombare, um major general que tinha sido chefe da informação militar e aliado do Presidente, mas que foi afastado em Fevereiro por desaconselhar o Presidente a concorrer a um terceiro mandato. No final de Abril, Nkurunziza anunciou mesmo que iria concorrer de novo à presidência em Junho, provocando protestos na capital, Bujumbura, e violência em que morreram mais de 20 pessoas.

Desde esta altura que algumas rádios privadas foram impedidas de emitir, e esta quarta-feira à noite algumas foram mesmo atacadas por milícias leais ao Presidente, diz a agência AFP. Uma televisão privada foi também atacada, e esta manhã estava ainda em chamas e com marcas de granadas.

Os promotores do golpe dizem que o Presidente só pode cumprir dois mandatos e que a acção de Nkurunziza seria inconstitucional. “O Presidente Pierre Nkurunziza está destituído das suas funções, o Governo está dissolvido”, anunciou Niyombare em várias rádios privadas. [MCM]