Internacional

Presidente do Sudão do Sul acusado de não respeitar acordo de paz

2015-10-20 05:08:19 (UTC+01:00)

O chefe da rebelião do Sudão do Sul Riek Machar acusou o presidente do país, Salva Kiir, de "multiplicar" as violações do acordo de paz assinado em Agosto passado e pede novas negociações.

Dois meses após a sua assinatura, a aplicação do acordo de paz no Sudão do Sul não mostra nenhum sinal de progresso, pelo contrário.

A partir de Addis Abeba, Etiópia, onde vive, o líder rebelde Riek Machar acusou o Presidente Salva Kiir de procurar fazer descarrilar o processo de paz, por exemplo, ao tomar a decisão de criar 18 novos Estados (o equivalente as províncias) no país, além dos dez existentes.

"Salva Kiir comporta-se como se não houvesse nenhum acordo de paz. A criação desses 18 (novos) Estados mostra que ele não leva em conta os acordos assinados. Em vez de avançar para a implementação do acordo de paz, vemos mais violações a cada dia ", acusou Riek Machar.

O líder rebelde disse estar disposto a voltar à mesa de negociações e alterar, se necessário, o acordo de paz de Agosto. "Queremos dar uma nova oportunidade para salvar o acordo", disse ele.

Independente desde 2011, o Sudão do Sul mergulhou numa guerra civil a partir de Dezembro de 2013. De acordo com as Nações Unidas, o conflito já provocou a morte de dezenas de milhares de pessoas e mais de dois milhões de deslocados, que procuraram refúgio na Etiópia, Quénia e Sudão.

Desde o início da guerra civil no sul do Sudão, foram já assinados nove acordos de cessar-fogo e nenhum foi respeitado. [FM]