Internacional

Presidente nigeriano condena últimos ataques do Boko Haram

2015-07-04 11:03:27 (UTC+01:00)

O Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, condenou ontem os últimos ataques “desumanos” e “bárbaros” do grupo radical Boko Haram e considerou que as acções mostram a necessidade de se “formar uma coligação internacional mais eficaz” contra os rebeldes.

Uma rapariga adolescente fez-se explodir na quinta-feira numa mesquita no nordeste da Nigéria, afirmaram ontem testemunhas citadas pela Agência France Presse (AFP).

“O bombista era uma rapariga com cerca de 15 anos, que foi vista perto da mesquita quando os fiéis se preparavam para as orações da tarde”, declarou o vigilante Danlami Ajaokuta, acrescentando que 12 pessoas morreram e sete ficaram feridas.

Ontem presumíveis militantes do Boko Haram executaram 11 homens escolhidos porta à porta na aldeia do Estado de Borno, por terem “recusado juntar-se às suas fileiras”, segundo declararam à AFP aldeões de Miringa, onde ocorrem os factos.

Estes ataques acontecem dias após militantes do Boko Haram terem morto a tiro pelo menos 145 pessoas em três aldeias do Estado de Borno, abatendo fiéis muçulmanos durante o mês sagrado do Ramadan num dos ataques mais sangrentos do grupo desde o início do mandato do Presidente Muhammadu Buhari, a 29 de Maio último.

Num comunicado da Presidência ontem divulgado, Buhari condenou os últimos ataques “desumanos” e “bárbaros” do grupo radical.

O Chefe de Estado nigeriano considerou, na declaração, que a violência demonstra a necessidade urgente de se “formar uma coligação internacional mais eficaz contra a insurgência e contra o terrorismo na Nigéria e no estrangeiro”.

O Presidente nigeriano apresentou a luta contra o Boko Haram como uma prioridade do seu mandato.

No total, são atribuídas ao grupo extremista 423 mortes desde que Buhari entrou em funções, de acordo com uma contagem da AFP. [FM]