Internacional

Quénia extradita para os EUA queniano acusado de traficar marfim

2021-01-26 07:13:54 (UTC+00:00)

Um cidadão queniano acusado de traficar chifres de rinoceronte e marfim de elefante foi ontem extraditado para os Estados Unidos, onde enfrenta uma pesada pena de prisão.

Mansur Mohamed Surur, 60 anos, foi detido no porto de Mombaça pelas autoridades quenianas em julho de 2020 ao regressar do Iémen, acusado de estar envolvido na caça furtiva dos chifres e das presas de mais de 35 rinocerontes e 100 elefantes, espécies ameaçadas de extinção.

De acordo com um comunicado da procuradora federal de Manhattan, Audrey Strauss, Surur é também acusado de tráfico de heroína.

Dois dos seus alegados cúmplices, o liberiano Moazu Kromah e o guineense Amara Cherif, tinham sido já extraditados em junho de 2019 e abril de 2020, respetivamente.

Um outro alegado cúmplice, também do Quénia, continua a ser procurado, segundo Strauss. Estes são acusados de terem vendido cerca de 9,1 toneladas de marfim e 189 quilogramas de corno de rinoceronte de vários países da África Oriental entre dezembro de 2012 e maio de 2019.

O material, com um valor de mercado estimado de sete milhões de dólares era vendido a compradores nos Estados Unidos e no Sudeste Asiático. Os suspeitos enviariam a mercadoria, escondida em obras de arte, máscaras e estatuetas africanas, segundo o inquérito realizado pela justiça norte-americana.

O comunicado cita uma "fonte confidencial" que, alegadamente, teve encontros com os acusados para negociar potenciais compras -- o que viria a permitir que, em 2018, as autoridades intercetassem vários pacotes contendo chifres de rinocerontes em 2018.

Surur foi acusado de tráfico de vida selvagem, branqueamento de capitais e tráfico de heroína. Estas últimas infrações podem resultar em penas pesadas ou mesmo prisão perpétua devido ao tráfico de heroína.

Em 1970, o continente africano contabilizava 1,3 milhões de elefantes, tendo este número diminuído para 500 mil devido à caça furtiva e desportiva. Por outro lado, estima-se que o número de rinocerontes em ambiente selvagem tenha diminuído para 30 mil.

Os chifres de rinoceronte têm uma forte procura na China e no Vietname, onde são usados, entre outros, na medicina tradicional ou enquanto afrodisíacos.

Estima-se que o preço possa alcançar os 60.000 dólares por quilograma. Nos últimos anos foram identificadas redes de Vietname, China, Coreia do Sul e Tailândia acusadas de envolvidas no tráfico destes materiais.