Internacional

Voo MH370: começa hoje a peritagem do destroço

2015-08-05 05:14:19 (UTC+01:00)

Começa hoje, em Paris a peritagem do destroço encontrado na ilha francesa da Reunião, para determinar se a peça pertence ao voo MH370, que desapareceu sem deixar rasto em Março de 2014.

O fragmento de asa encontrado, chamado “flaperon”, chegou no sábado a um laboratório de Toulouse (sul da França), onde será examinado. Os resultados poderão determinar se é realmente um pedaço do Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu misteriosamente em 8 de Março de 2014 com 239 pessoas a bordo, 153 das quais chinesas.

O rastro MH370, que viajava entre Kuala Lumpur (Malásia) e Beijing (China) foi perdido sobre o oceano Índico, após sair do seu plano de voo por alguma razão ainda não esclarecida.

Depois de vários alarmes falsos, as famílias dos desaparecidos duvidam das autoridades dos países envolvidos nos trabalhos de busca.

O acidente gerou todo tipo de especulações sobre o destino do avião, desde uma falha mecânica ou estrutural a um acto terrorista.

Em 29 de Janeiro deste ano, a Malásia declarou oficialmente que o desaparecimento havia sido um acidente e que os passageiros eram dados como mortos, provocando a ira das suas famílias.

Agora, com o achado da Ilha Reunião, renasce a esperança por mais informações sobre um dos maiores mistérios da aviação civil moderna.

A única certeza, por enquanto: o fragmento de asa é de um Boeing 777, embora a pista do MH370 pareça mais concreta do que nunca, especialmente porque não há registo de nenhum outro acidente aéreo envolvendo este tipo de aeronave na região.

Nas análises em Toulouse participam para além dos franceses, representantes da Boeing, malaios, chineses e norte-americanos.

Mas, além da identificação do voo, as análises não serão capazes de desenhar o cenário da catástrofe, segundo especialistas.

"Nós não devemos esperar milagres a partir desta análise", insiste o ex-director do BEA John Paul Troadec.

O BEA, órgão público do ministério dos Transportes francês, é desde as buscas no mar "o representante acreditado" na investigação liderada pela Malásia e a Austrália sobre o MH370, exercendo papel de assessor técnico e coordenando as informações das autoridades malaias, australianas e francesas. [FM]