Internacional

Zuma diz que o seu país sofre de “problemas históricos complexos”

2015-08-13 07:32:45 (UTC+01:00)

O Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, atribui ao antigo regime do “apartheid” a responsabilidade pelos actuais problemas da economia nacional, descrevendo-o como um “colonialismo de um tipo especial”.

Segundo a Agência Brasil, em conversa com jornalistas na cidade de Pretória, o governante disse que o seu país sofre de “problemas históricos complexos”, que são únicos no continente.

“Outros países de África nunca tiveram uma economia baseada na raça”, explicou Zuma durante um pronunciamento sobre as reformas implementadas pelo seu Governo ao longo deste ano.

“Nós estamos a tentar lidar com o legado do ‘apartheid’ e este permanecerá connosco por um longo tempo”, acrescentou, citando a dificuldade de competir com países que nunca tiveram um desafio semelhante ao sul-africano.

A economia mais desenvolvida da África tem sido sufocada nos últimos meses por altas taxas de desemprego e problemas de abastecimento energético.

Em Julho último, a companhia britânica Lonmin, maior produtora mundial de platina, anunciou um corte de seis mil postos de trabalho na África do Sul, medida que foi seguida por acções semelhantes por parte de outras mineradoras que actuam no país.

Com um crescimento estimado em apenas dois por cento neste ano, a economia sul-africana deverá ter um dos piores resultados entre os países da África Subsahariana, que deve crescer em torno de 4,5 por cento em 2015, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). [FM]