Nacional

Agentes da PRM expulsos da corporação em Niassa

2020-02-19 02:37:54 (UTC+00:00)

Quinze agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM) acabam de ser expulsos das fileiras na província do Niassa, acusados no cometimento de diversas infracções que atentam à postura da corporação.

MAPUTO- Os implicados são acusados de vários actos criminosos, nomeadamente, a facilitação da fuga de um cadastrado perigoso, abandono sistemático do posto de trabalho sem a devida autorização dos seus superiores hierárquicos para prestar serviço de protecção numa empresa privada, entre outras.

As mais recentes expulsões resultam da análise de processos disciplinares e criminais instaurados contra 30 agentes da PRM, dos quais 15 foram expulsos da corporação nos últimos 15 meses ao nível no Niassa.

Dados disponíveis apontam que entre os agentes expulsos treze estavam afectos ao ramo de Guarda-Fronteira e a decisão foi precipitada por haver provas suficientes da prática constante de abandono de posto de afectação por um período prolongado sem a devida autorização.

Outros dois que se encontravam afectos ao ramo de protecção foram expulsos por facilitação de chaves para abertura das algemas colocadas a um cadastrado perigoso visando a sua fuga quando era conduzido para um processo de interrogatório encontrando-se neste momento em parte incerta.

O outro foi alvo da pena máxima por ter abandonado o posto para consumir bebidas alcoólicas numa barraca localizada num dos bairros da cidade de Lichinga, acabando por se envolver numa rixa e recorrido à uma faca para desferir golpes contra um cidadão que contraiu ferimentos graves.

Alves Mathe, porta-voz do comando provincial da PRM no Niassa, alongou que os agentes que pertenciam ao ramo de Guarda-Fronteira e que abandonaram o seu posto de trabalho para prestar serviços a terceiros sem autorização do respectivo comando vão responder a processos-crime.

Entretanto, a PRM no Niassa salienta que a população linchou um suposto malfeitor no bairro Rimbane, na cidade de Cuamba, na última segunda-feira. Outro suposto malfeitor que pretendia assaltar um moto-taxista no bairro de Ntoto na cidade de Lichinga, com recurso a arma de fogo, escapou ao linchamento por populares.





Fonte:Jornal Notícias