Nacional

“As FADM devem ser um factor dissuasor contra quaisquer iniciativas obscuras”, Filipe Nyusi

2015-09-24 06:55:56 (UTC+01:00)

O Presidente instou ontem as Forças Armadas e Defesa de Moçambique (FADM) a serem um factor de dissuasão de iniciativas obscuras que ameaçam semear o pânico nas populações.

MAPUTO - "As FADM devem ser um factor dissuasor contra quaisquer iniciativas obscuras, de indivíduos ou grupos que procurem criar pânico e medo no seio das populações através de ameaças de guerra", afirmou Filipe Nyusi na cerimónia de patenteamento de seis oficiais generais, incluindo Elias Marceta Dhlakama, irmão do líder da Renamo.

Em vésperas do dia das FADM, a 25 de Setembro, coincidindo com o 51.º aniversário do início do levantamento militar contra o colonialismo português, o Presidente referiu-se a ameaças que "visam pôr em causa a estabilidade socioeconómica e a unidade nacional dos moçambicanos", desviando-os da luta contra "o principal inimigo, a pobreza".

Para Filipe Nyusi, ex-ministro da Defesa nos mandatos do antigo Presidente Armando Guebuza, as Forças Armadas "devem continuar a ser o símbolo de coesão nacional e patriotismo por aglutinarem no seu seio moçambicanos na sua plena diversidade", recomendando que se deixe "a política para os políticos".

A cerimónia de ontem decorre pouco mais de uma semana após uma emboscada na província de Manica, contra o líder da Renamo, em circunstâncias ainda não esclarecidas oficialmente.

Afonso Dhlakama imputou a emboscada às forças de defesa e segurança de Moçambique, por ordem directa de Nyusi, tendo a polícia afastado o seu envolvimento no incidente e a Frelimo, no poder, acusou a Renamo de simular o ataque.

"O Governo continuará empenhado na busca da paz efectiva, privilegiando sempre o diálogo no âmbito das instituições democráticas de que o país dispõe e de outros espaços disponíveis", afirmou ontem Nyusi, que não comentou até à data o incidente do passado dia 12. [OD]