Nacional

Chissano pede que o povo convença Dlakhama a aceitar o diálogo

2015-09-03 15:18:14 (UTC+01:00)

Joaquim Chissano, antigo estadista moçambicano, sublinhou durante o enceramento das X Jornadas de Rádio de Fusão da Rádio Moçambique, que é preciso que todos os moçambicanos façam saber a Anfonso Dhlakama, que é preciso realmente garantir que haja paz.

MAPUTO-Chissano, pediu ao povo para continuar a convencer o líder da Renamo, o principal partido de oposição no país, Afonso Dhlakama, a aceitar o encontro com o Presidente da República, Filipe Nyusi, para realmente discutirem todos os problemas que há por discutir.

De acordo com a AIM, o antigo dirigente máximo moçambicano respondia assim à pergunta feita sobre que formas os moçambicanos, sobretudo os líderes, podem usar para eliminar o clima de instabilidade e de medo que tem vindo a caracterizar o país.

“Ele é que exigiu uma agenda e a agenda foi-lhe apresentada. Mas isto não é o problema, o importante é o encontro e que discutam de todas as matérias. Esclareçam um ao outro e se tome uma decisão. Nós queremos paz. Nós não queremos ser carne para canhão, nem de uma bala da Renamo, nem de uma bala do governo”, disse ele.

No seu entender, para que haja paz é preciso que não haja nenhuma espécie de provocação, nenhuma espécie de ameaça, porque a ameaça pode fazer com que as pessoas fiquem nervosas.

Para finalizar o ex-dirigente lamentou o facto de haver muitos compatriotas, em Tete a refugiarem-se no vizinho Malawi, devido a instabilidade politica instalada no país. [FI]