Nacional

Cidadãos indignados com raptos de albinos

2015-11-05 13:16:21 (UTC+00:00)

“Ao invés de os deputados trocarem insultos na Assembleia de República, porque não foi para isso que os elegemos, deveriam tratar de arranjar uma lei que proteja as pessoas portadoras de albinismo”.

MAPUTO-Iniciamos o nosso texto com a intervenção de um cidadão, de 70 anos de idade, de nome João Tomás interpelado pela equipa de reportagem da FOLHA DE MAPUTO, que mostrou sua indignação com os raptores de albinos e com os parlamentares que na sua opinião não estão a exercer devidamente as obrigações para as quais foram eleitos.

Para este cidadão assim como para os outros com os quais conversamos, os autores desses actos macabros deveriam ser punidos com penas de morte, porque ninguém tem a autoridade de tirar a vida de um semelhante.

“Esses homens deveriam ser condenados a prisão perpétua ou serem sentenciados à morte porque o que eles fazem é desumano” disse Alberto.

Os cidadãos por nós interpelados dizem ser complicado proteger as pessoas com problemas de pigmentação de pele, porque não podem prender as mesmas em casa mesmo que seja para o seu próprio bem.

Tomás aponta a vigilância, por parte da polícia e da sociedade em geral, como “arma” para lutar contra os “caçadores” de albinos e garantir a redução deste crime.

A quem diga não ter informações em torno das riquezas que podem ser adquiridas com os órgãos dos albinos e ouve quem negasse essa possibilidade à considerando absurda.

“Há pessoas que andam a especular, mas ninguém tem uma prova de que os albinos têm mercúrio, durante todos esses anos de vida é a primeira vez eu a ouvir isso, é uma calamidade” arrematou um cidadão que preferiu falar em anonimato. [FI]