Nacional

DECOM considera pertinente decisão de proibição do uso de saco plástico

2015-07-05 10:44:12 (UTC+01:00)

A Associação de Defesa do Consumidor de Moçambique (DECOM) considera pertinente a decisão do Governo de proibir o uso do saco de plástico reciclado no manuseamento de alimentos, mas defende que a medida não deve encarecer os preços.

MAPUTO -"É uma medida acertada e pertinente, porque avança no sentido de combater os efeitos nefastos para a saúde e para o ambiente do plástico reciclado que circula em Moçambique, mas o nosso princípio fundamental é de que esse tipo de medidas não deve agravar os preços ao consumidor", disse, citado pela Lusa, o presidente da DECOM, Mouzinho Nicols.

Reiterando que a decisão é oportuna, Nicols realçou que o decreto governamental não deve levar os vendedores a entregar produtos sem a respetiva embalagem, com o argumento da interdição do saco plástico reciclado.

"É importante que se avance rapidamente para a substituição das embalagens proibidas por recipientes feitos à base de outro tipo de materiais recomendáveis", destacou o presidente da DECOM.

Por seu turno, o ambientalista Carlos Serra também aplaudiu a medida, considerando que vai diminuir o impacto pernicioso do saco plástico reciclado sobre a saúde e ambiente.

"Estamos felizes, porque é uma medida que responde à preocupação em relação aos enormes danos causados por embalagens de plástico que circulam nas cidades do país", assinalou Carlos Serra, que recentemente liderou uma operação de limpeza para remover toneladas de lixo de algumas das principais praias do país.

O ambientalista congratulou-se com esta decisão por incentivar a produção de embalagens biodegradáveis e a retomada do hábito do uso de cesto de palha nas cidades país.[OD]