Nacional

Dhlakama admite possibilidade de Renamo ser dirigida por Mulher

2015-05-12 13:56:09 (UTC+01:00)

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, admite a possibilidade de ser substituído por mulher, mas sem explicar se seria ele a indicar a sucessora ou não, tendo em conta que acima da sua vontade expressa o partido tem estatutos.

CHIMOIO - Sem indicar o período em que colocaria o cargo de presidente à disposição, Dhlakama defendeu que o fará, caso os membros assim desejarem, no âmbito do refrescamento do partido, não descartando a hipótese de ser substituído por uma mulher.

Falando em Chimoio, na conferência nacional da Liga Feminina da Renamo, que debruçou-se sobre a emancipação da mulher na vida política do continente africano, ele teceu críticas contra o alegado estabelecimento de metas, tanto nos governos, como em formações políticas, onde as mulheres saem em relativo prejuízo, perante homens, com apenas 35 por cento de oportunidades de cargos de chefia.

“Temos de acabar com a mania de que as mulheres andam repletas de fragilidades. As leis são universais, por isso elas (mulheres) devem gozar das mesmas oportunidades com pessoas de género masculino. A meta estabelecida pelos governos africanos, em 35 por cento de oportunidade de cargos de direcção, revela autêntica violação aos direitos humanos universalmente estabelecidos,” declarou, sustentando estar apto, para um dia ver-se substituído por mulher na liderança do partido a que comanda há mais de 20 anos.

Refira-se que, Dhlakama lidera aquela que é tida como a maior formação politica da oposição moçambicana, há mais de 20 anos. [OD]