Nacional

Doentes abandonam tratamento de Sida

2015-07-22 07:22:09 (UTC+01:00)

Um terço dos doentes em tratamento de SIDA no país abandona o acompanhamento clínico no primeiro ano, uma situação agravada pela falta de apoio do Governo, informou ontem a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

MAPUTO - Do universo de 1,6 milhões de infectados de SIDA , apenas 640 mil procuram tratamento, mas um terço abandonam-no logo no primeiro ano, segundo dados oficiais revelados em Maputo durante a apresentação do relatório "Aconselhamento em HIV/TB: Quem está a fazer o trabalho".

"A maior parte das organizações no terreno está a trabalhar, mas o Governo não está a garantir o seu próprio pessoal e, por isso, existe uma lacuna", disse citada pela Lusa, Carlota Silva, analista da MSF para o tema de SIDA, à margem da apresentação do relatório.

Apontando para os "conselheiros leigos", profissionais de formação curta e responsáveis pelo apoio psicossocial nas comunidades, como meio alternativo para fazer face aos altos índices de prevalência da doença em Moçambique, Carlota Silva considerou que o Governo moçambicano precisa garantir que o tratamento seja feito com mais qualidade e tenha um acompanhamento contínuo.

"É importante que haja mais vontade política por parte do Governo. Neste momento, os clínicos e enfermeiros são muito poucos", adiantou Carla Silva, acrescentando que os actuais 501 conselheiros registados em Moçambique não são capazes de responder ao crescente número de pessoas infectadas.[OD]