Nacional

Doentes mentais ameaçam a segurança das pessoas

2015-09-02 15:56:28 (UTC+01:00)

Como é possível ver, um pouco pelas artérias da capital do país, existem em número considerável indivíduos com perturbações mentais, vulgarmente chamados de malucos.

A loucura pode ter diversas causas, das quais doenças de vária ordem bem como questões ligadas a cultura, para os mais supersticiosos.

Para buscar o entendimento do tema por parte dos cidadãos, a FOLHA DE MAPUTO saiu a rua, onde pode colher as opiniões que os residentes da cidade de Maputo tem sobre a existências de indivíduos com distúrbios mentais a dividirem com eles os recantos da cidade.

Interceptamos Pedro, vendedor na baixa da cidade, que afirma ver diariamente pelo menos um maluco passar por ele.

“Eles passam por aqui, de longe apanham coisas no chão, restos de comida e outros objectos”.

Pedro continuou dizendo que apesar de nunca ter acontecido nada com ele nem com os colegas com quem vende, já viu algumas pessoas a serem agredidas pelos malucos “ as vezes com as mãos ou com recurso a pedras”.

No entendimento de Zaida esses indivíduos deviam ser recolhidos, porque representarem um perigo a segurança das pessoas que cruzam o seu caminho.

“ Há dias em que podem estar calmos, mas as vezes eles estão bastante agressivos e podem ferir quem estiver por perto, eu nunca fui agredida mas já ouvi vários casos de pessoas agredidas, algumas delas com gravidade”.

Para a citadina, as pessoas que estiverem nesse estado em que não gozam na plenitude das suas faculdades mentais deveriam ser removidas para lugares apropriados para, onde possam receber o acompanhamento necessário para a condição na qual se encontram.

Os citadinos entrevistados não apontaram a entidade responsável, mas são unanimes em dizer que alguém deve ser responsável pelos doentes mentais que abitam as esquinas da cidade das acácias.[FI]