Nacional

Estrada Circular: Famílias abrangidas sem espaço para erguerem residências

2015-07-08 09:45:07 (UTC+01:00)

Algumas famílias abrangidas pela construção da estrada circular, no Município da Matola, contínuam sem espaço para reerguer suas residências e seguir com as suas vidas.

A construção da estrada circular de Maputo vai na ponta final, mas nem todas famílias abrangidas foram compensadas e aguardam pelo dinheiro e terrenos para o reinício da vida, estando a edilidade em busca de soluções.

Dados retirados do “Jornal Noticias” dão conta que o Conselho Municipal da Matola faz recear que reassentamento, até ao momento apontado como um dos mais pacíficos e ordeiros, possa ganhar contornos embaraçosos.

Isto acontece porque, existem abrangidos que continuam nas zonas por libertar já devidamente compensados, mas sem mais dinheiro para custear as obras da construção nas novas zonas.

O presidente da autarquia da Matola, Calisto Cossa, disse, perante a Assembleia Municipal, que se está em coordenação com a Empresa de Desenvolvimento de Maputo Sul, entidade pública responsável pelo projecto da Estrada Circular, no sentido de solucionar o problema. Entretanto, não clarificou os prazos nem as estratégias a implementar.

Embora haja, de facto, famílias ainda por reassentar, casos de sucesso foram apontados, como o enquadramento de 262 famílias nos bairros de Matlhemele, Siduava e Mwamatibjane, todos do posto administrativo da Machava. [FI]