Nacional

Estrageiros detidos numa mina ilegal de turmalina em Manica

2015-07-15 09:49:30 (UTC+01:00)

A Polícia da República de Moçambique (PRM), deteve ontem, numa mina em, Báruè, cerca de 14 estrangeiros, de varias nacionalidades, numa mina ilegal. Os detidos são indiciados de contrabando de minério, nacional.

De acordo com, Belmiro Mutadiua, porta-voz da polícia na província de Manica, citado pela “Agencia Lusa”, disse que uma ação conjunta da polícia de proteção e ambiental contra estrangeiros ilegais envolvidos na compra e contrabando permitiu apreender quatro quilos de turmalina de primeira qualidade e 60 mil meticais (1.276 euros)

"A polícia teve que intervir na semana passada depois de notar a proliferação de estrangeiros, a maioria ilegais. Foram detidos numa mina em Nhampassa, envolvidos na compra de turmalina em Báruè", precisou Belmiro Mutadiua.

A maioria dos detidos são da região dos Grandes Lagos, mas inclui também zimbabueanos e malauianos, que se faziam transportar em potentes viaturas com matrículas estrangeiras, e que se tinham instalado na vila de Catandica, a sede de Báruè, para viabilizar o comércio das pedras preciosas.

"Não somos contra a presença de estrangeiros na nossa província, mas contra a ilegalidade de estrangeiros e a delapidação dos recursos minerais e faunísticos", disse Belmiro Mutadiua.

Há um mês foram descobertos novos jazigos de turmalinas, com uma exploração desenfreada, numa área mineira concessionada ao líder da Renamo, (Resistência Nacional Moçambicana, maior partido da oposição) Afonso Dhlakama, na zona de Nhampassa (Báruè), o que tem estado a atrair vários estrangeiros para a região.

As autoridades policiais e de migração estão a trabalhar no processo de repatriamento dos estrangeiros ora detidos. [FI]