Nacional

“FACIM é o termómetro que marca o pulsar da nossa economia”, Filipe Nyusi

2015-09-01 09:58:26 (UTC+01:00)

O Presidente da República, Filipe Nyusi, disse que a 51ª edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM) mais do que intenções deve gerar resultados concretos que sirvam de alavanca económica das empresas, dos empresários e de Moçambique.

MAPUTO - Nyusi lançou o repto na abertura formal hoje da 51ª edição da FACIM que decorre em Ricatla, distrito de Marracuene, província meridional de Maputo, sob o lema Promoção do Potencial Económico de Moçambique Independente e junta 2.950 expositores, dos quais 680 são estrangeiros e os restantes nacionais.

Segundo a AIM, o estadista moçambicano disse que a presença de representantes de entidades dos mais diversos sectores de actividade do país, no espaço da FACIM, sublinha a importância estratégica que atribuem a feira internacional, uma verdadeira montra do que Moçambique produz, consome e exporta.

“A FACIM, mais do que uma mera exposição, é o termómetro que marca o pulsar da nossa economia, reflectindo, a escala nacional, o esforço abnegado dos moçambicanos rumo à conquista da sua independência económica”, ressaltou o Presidente, no primeiro dia da feira que é designado Dia do Exportador.

Nyusi, que visitou vários pavilhões da feira e interagiu com os expositores, constatou o regozijo de ali estarem bem como a sua satisfação por colocarem na vitrina o resultado da combinação virtuosa dos factores produtivos.

“Através dos produtos expostos, testemunhamos o empreendedorismo em movimento na produção agrícola, pecuária, florestas, pesca, comércio, indústria, turismo, exploração mineral, construção, energia, transportes e comunicações, finanças e serviços diversos, que demonstram que a economia moçambicana está a tornar-se mais robusta e diversificada”, disse o Presidente citado pelo mesmo órgão.[OD]