Nacional

Governo e ONU discutem novos indicadores de pobreza em Maputo

2015-06-19 07:28:54 (UTC+01:00)

Estão em curso em Maputo discursões com vista actualização do modelo de avaliação do nível de pobreza no país que é baseado no nível de renda económica, com novos indicadores relacionados com o acesso aos vários serviços sociais prestados em Moçambique.

MAPUTO- Para o efeito, o Governo moçambicano, as Nações Unidas (ONU) e várias organizações da sociedade civil discutiram, ontem, novos indicadores para avaliação dos níveis de pobreza no país que incluem factores como, o acesso a saúde, educação, informação, segurança.

O país não possui números que retractam a situação da pobreza multidimensional, contudo está a decorrer, desde Junho do ano transacto, a nível nacional, o Inquérito ao Orçamento familiar (IOF) com o termo previsto em Agosto do ano em curso.

A Vice-ministra da Economia e Finanças, Amélia Nakhare, que presidiu a cerimónia de abertura do seminário Sobre Pobreza Multidimensional em Moçambique, disse que a pobreza constitui uma condição marcada por uma grave privação de necessidades básicas como alimentos, água potável, instalações, saúde, residência educação e informação.

A fonte disse, por outro lado, que o conceito de pobreza evoluiu ao longo dos tempos, porquanto inicialmente se limitava a uma abordagem unidimensional que condessava a dimensão do indicador, reduzindo a uma única variável que desse expressão a componente económica, em forma de despesa consumo ou rendimento.

Por seu turno, a Coordenadora Residente da ONU, Jennifer Topping, disse que as análises de pobreza multidimensional podem fornecer mais detalhes complementares e necessários para compreender plenamente o nível de pobreza de todos.

Se quisermos ser bem-sucedidos, nos nossos esforços, para promover o desenvolvimento inclusivo e sustentável, os dados sobre os rendimentos e as despesas devem ser detalhados sobre o acesso à saúde e à qualidade da educação, segurança, inclusão social e expressa cultural, disse Topping. [FI]