Nacional

Insegurança faz "sumir" Dhlakama da vida pública

2015-10-28 05:40:32 (UTC+00:00)

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, permanece na cidade da Beira, centro do país, e só reaparecerá em público quando se sentir seguro com a sua escolta pessoal, disse ontem o porta-voz do maior partido de oposição.

MAPUTO - “O presidente da Renamo só pode aparecer em público quando tiver segurança e ele só se sente seguro com a sua escolta”, afirmou António Muchanga.

Dhlakama não é visto publicamente desde o dia 09 de Outubro, quando forças policiais cercaram a sua residência na cidade da Beira e prenderam por algumas horas sete elementos da sua guarda.

A operação policial ocorreu um dia depois de o líder da oposição ter reaparecido na serra da Gorongosa, ao fim de duas semanas em parte incerta, na sequência de dois incidentes envolvendo a sua comitiva e as forças de defesa e segurança.

O cerco à residência da Beira só terminou quando o líder da Renamo aceitou entregar o armamento na posse da sua guarda ao grupo de mediadores que já o tinha acompanhado na saída da Gorongosa e que por sua vez o deixou à responsabilidade da polícia.

Desde então, Afonso Dhlakama não é visto em público, levantando-se várias especulações sobre o seu paradeiro.

António Muchanga reafirmou ontem à Lusa que o seu líder permanece na cidade da Beira e acrescentou que "nem sempre é o presidente do partido que fala" e que há outros órgãos e dirigentes que o fazem.

O porta-voz do partido de oposição declarou também que não houve avanços na proposta da Renamo em manter a escolta de Dhlakama, após um período de formação na Polícia da República de Moçambique (PRM).

"Se a situação está num impasse eu não sei, sei que colocámos a proposta e ainda não temos resposta", afirmou António Muchanga.[OD]