Nacional

Limpeza “suja” frangos no mercado Fajardo

2015-09-18 15:59:08 (UTC+01:00)

Não é novidade para ninguém que o mau manuseamento de alimentos pode causar graves problemas de saúde.

Existem vários focos de atentado a saúde pública em diversos cantos da cidade de Maputo, como é o caso do mercado Fajardo que cita no bairro do Chamanculo A.

A equipa de reportagem da Folha de Maputo visitou o mercado e descobriu que no sector de venda de frangos, ao longo da avenida de Trabalho, existem clientes que no lugar de levar a galinha viva pedem para o vendedor depena-la.

Sucede que no local onde o trabalho de limpeza das aves é feito não oferece condições básicas de higiene para se proceder com este tipo de actividade.

Durante o período que a equipa de reportagem permaneceu no local pode observar que as galinhas eram mortas e depenadas ao ar livre em frente a um contentor de lixo, expostas a todo o tipo de bactérias nocivas a saúde.

As nossas tentativas de entrar em contacto com os comerciantes que se dedicam a venda de galinhas naquele mercado, grupo composto na sua maioria por mulheres, redundaram no fracasso.

Para além do contentor de lixo a um pequeno riacho formado por águas negras, parte das quais são produzidas pelos próprios vendedores do mercado, corre defronte das bancas.


Para uma cidadã que não quis identificar-se e que de vez em quando usa os serviços de limpeza de frangos oferecidos naquele mercado, assume o risco que corre, mas afirma ser um serviço é eficaz apesar dos problemas que acarreta. [FI]