Nacional

Magid Osman defende prudência nos investimentos em Moçambique

2015-09-22 05:46:32 (UTC+01:00)

O antigo ministro das Finanças, Abdul Magid Osman, defende que Moçambique deve ser mais prudente nas suas opções de investimento e avalia a depreciação do metical como um “realinhamento do seu valor face à realidade”

MAPUTO - Magid Osman considera que algumas escolhas recentes de investimento em Moçambique foram feitas de forma imprudente, descurando o impacto no crescimento e no desenvolvimento do país. “No caso particular de Moçambique, em determinado momento tivemos acesso ao endividamento e optámos por fazer algumas infra-estruturas que, se calhar, não foram as que deveríamos ter optado”, considera o financeiro. “É o caso, por exemplo, da ponte Maputo-Katembe, que não devia ter sido prioridade, em função de outras prioridades a nível nacional, particularmente nas outras províncias”, acrescenta.

O antigo governante critica o facto de algumas infra-estruturas desenvolvidas em Moçambique se fazerem a preços “absolutamente proibitivos”, só porque o financiamento está disponível. Na sua óptica, o financiamento é condição necessária ao desenvolvimento, mas não suficiente. É necessária porque se não houver capacidade financeira, o projecto não se realiza, por muito viável que seja. Também não é condição suficiente porque, muitas vezes, há financiamento, mas este não se traduz em infra-estruturas necessárias para o desenvolvimento.[MCM]