Nacional

Morte de moçambicano gera protestos numa esquadra policial da Suazilândia

2015-06-17 11:10:30 (UTC+01:00)

Um cidadão moçambicano identificado como Luciano Reginaldo Zavale, de 35 anos de idade, perdeu a vida na manhã da última sexta-feira durante um pretenso interrogatório numa esquadra da Polícia em Manzini, na Suazilândia.

MAPUTO - Segundo a Televisão de Moçambique, a ocorrência desencadeou uma onda de protestos envolvendo mais de 300 moçambicanos, segundo reporta o jornal local “Swazi Observer”. De acordo com a publicação, os moçambicanos protestaram no último sábado após tomar conhecimento da morte de seu compatriota, Luciano Zavale, barbeiro de profissão.

Ele perdeu a vida nas celas de uma esquadra da Polícia durante um interrogatório supostamente por ter comprado um aparelho roubado cujo autor do roubo está sob custódia policial.

A acção dos manifestantes é descrita como tendo provocado caos, desordem e tumulto no centro de Manzini, facto que obrigou ao encerramento de vários estabelecimentos comerciais. Eles fecharam duas das ruas que levam à Delegacia da Polícia de Manzini. Os cidadãos moçambicanos invadiram a delegacia exigindo que a morte de Melusi, como era carinhosamente tratado o malogrado, fosse esclarecida e os responsáveis punidos.

Alguns protestantes queimaram lixo nas ruas, despiram suas roupas e urinaram na via como forma de demonstrar o seu desagrado com a situação. Outros ainda jogaram futebol no meio da estrada, provocando a suspensão do tráfego intenso que se vive em Manzini. [OD]