Nacional

Raptos voltam à Maputo

2015-10-13 21:52:22 (UTC+01:00)

Depois de um período de relativa acalmia, eis que os raptos voltam em peso a cidade de Maputo. O modus operandi é exactamente o mesmo, com os raptos a ocorrerem a luz do dia e normalmente á porta de casa dos raptados e todos eles de ascendência Asiática.

MAPUTO - No passado dia 24 de Setembro um cidadão de nome Altaf, empresário do ramo imobiliário, proprietário por exemplo da ex Pensão Nini onde hoje está sediado o Banco Único, foi raptado á porta de sua casa perto da escola Portuguesa, tendo sido posteriormente libertado mediante o pagamento de resgate aos raptores.

Hoje mais dois raptos fulminantes, o primeiro de um cidadão de nome Mohamade Basma, director financeiro do grupo Unibasma, holding ligada a vários negócios desde uma fábrica de colchões e chapa de zinco ou a importação de electrodomésticos e loiças entre outros como por exemplo o ramo imobiliário - donos de edifícios como o Spar Mica ou Recheio e o segundo do proprietário da Bottle Store do Mira Douro.

Aguardam-se posicionamentos oficiais da Polícia sobre estes casos e sobre o recrudescimento deste tipo de crime que atormenta a sociedade e que afasta empresários do país, em especial uma grande camada de investidores que apostavam na imobiliária e que moviam o mercado imobiliário de forma activa e que cuja debandada para Portugal e Dubai ou mesmo a África do Sul criou o crise imobiliária que se assiste no mercado tanto a nível de alugueres (rendas cada vez mais baixas nos melhores locais) como mesmo na venda de apartamentos nos mais variados prédios que foram surgindo como cogumelos pela cidade de Maputo, muitos deles sem vender um único apartamento, pois esta comunidade que abandonou o país é que "alimentava" e mexia com o mercado.[MCM]