Nacional

Renamo: Questões Militares deviam ser retiradas da mesa de diálogo

2015-08-18 07:46:21 (UTC+01:00)

Dois anos depois do início das rondas negociais, entre o Governo e a Renamo, o maior partido da oposição chegou a conclusão de que as duas delegações mostram não ter capacidade de chegar a um consenso, em torno das discursões sobre as Questão Militares.

“A nossa opinião é, de que, este ponto deveria ser retirado da mesa de diálogo”, disse Lourenço do Rosário, em nome dos mediadores, no término da 114ª ronda do diálogo político, acrescentando ainda que, na percepção do grupo que representa, dessas rondas negociais não vai sair nenhuma solução,” nós próprios, já não conseguimos vislumbrar qualquer saída que possamos sugerir às duas delegações para que se resolva essa questão militar”.

As Questões Militares é o terceiro ponto da agenda e preconiza a desmilitarização dos homens armados da Renamo e seu enquadramento nas Forças de Defesa e Segurança (FDS) ou reintegração social nos casos de incapacidade física ou por velhice.

“Essas questões devem ser remetidas às instâncias superiores, pois são assuntos muito sensíveis e, realmente, eu não vejo solução, a não ser que haja mandatos muito claros de ambos os líderes, o Chefe do Estado, Filipe Nyusi, e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama”, disse Do Rosário, reconhecendo a incapacidade dos mediadores para resolver o diferendo. [FI]