Nacional

Restam apenas 10 mil elefantes em Moçambique

2015-11-01 06:26:43 (UTC+00:00)

Cerca de 10 mil elefantes de uma população estimada em mais de 20 mil animais, em todo o país, foram abatidos nos últimos cinco anos por caçadores furtivos.

MAPUTO - O chefe do Departamento de Fiscalização na Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC), Carlos Lopes, revelou estes dados há dias em Pemba, momentos depois de apresentar o Censo do Elefante durante a quarta reunião nacional das áreas de conservação, um evento que ontem encerrou.

Segundo o Notícias, o último censo do elefante, realizado ano passado, cujos dados estão a ser tornados públicos, revela que somente existem no território nacional 1300 elefantes. São números desoladores se tivermos em linha de conta que o país já teve, em 1950, acima de 50 mil elefantes.

“Para nós do Departamento de Fiscalização e os cientistas no geral, a razão principal para a perda de tantos animais é a caça furtiva. Principalmente nas províncias de Cabo-Delgado e Niassa, com maior incidência para a parte Sul desta província, onde esta espécie existia em abundância”, anotou Carlos Lopes.

Segundo Lopes, 95 por cento das perdas de elefantes aconteceram sobretudo na zona Norte do país, na Reserva Nacional do Niassa e no Parque Nacional das Quirimbas, respectivamente. Os restantes cinco por cento são de animais abatidos um pouco por todo o país.

Questionado sobre que acções podem ser realizadas para inverter a situação, o responsável pelo Departamento de Fiscalização na ANAC apontou a formação aprimorada dos fiscais das áreas de conservação, numa coordenação cuidadosa com a Polícia de Protecção de Recursos Naturais e Meio Ambiente, aliado à coordenação de actividades com os países vizinhos como Tanzania, a África do Sul, o Zimbabwe e o Malawi.[OD]