Nacional

Saúde preocupada com mortalidade materna em Gaza

2015-06-15 09:31:53 (UTC+01:00)

O Director provincial da saúde, Isaias ramiro, revelou que uma média anual de pouco mais de 40 mulheres perdem a vida nas diversas maternidades de Gaza, devido as complicações que surgeM na altura dos partos.

MAPUTO – Segundo o “Notícias”, os distritos do norte, designadamente Chigubo, Chicualacuala e Mabalane são os que registam aquele tipo de casos, de acordo com a comunicação feita na ocasião por Isaías Ramiro.

Por um lado, o director provincial de Saúde de Gaza indicou que as complicações que se registam nos partos é ainda devido ao facto de muitas mulheres serem obrigadas a percorrer mais de 30 quilómetros para ter acesso a uma maternidade.

Durante a referida sessão, dirigida pela governadora Stella Pinto Zeca, Isaías Ramiro acrescentou que a existência de maternidades que distam aproximadamente a 500 quilómetros de um hospital de referência, como acontece por exemplo com o Centro de Saúde de Mapai, em Chicualacuala e, de Mavuè, no distrito de Massangena, constitui outra dificuldade que concorre para o registo da mortalidade materna.

Com efeito, segundo indica a informação prestada pela Saúde, pelas razões anteriormente descritas o Hospital Rural de Chókwè é o que tem vindo a registar anualmente em média, cerca de metade dos óbitos maternos notificados na província de Gaza.

“As hemorragias pós-parto e outras complicações, como a hipertensão provocada pela gravidez, rompimento do útero, infecções graves depois do parto, problemas resultantes devido ao aborto, constituem outras razões de peso que levam à morte de mulheres, durante o parto”, sublinhou Isaías Ramiro.
Para a minimizar a ocorrência da mortalidade materna, as autoridades da Saúde defendem dentre várias intervenções, a monitoria para a implementação de políticas e estratégias dirigidas à mulher e à criança, bem como a advocacia junto dos sectores público e privado. [OD]