Nacional

Tensão político-militar impede duas mil crianças de ir a escola em Moatize

2015-11-06 12:57:06 (UTC+00:00)

O Primeiro Secretário da Frelimo, na província de Tete, afirma ser menos importante a criação de uma comissão de inquérito composta por membros do governo e da Assembleia provincial para apurar as causas da tensão político-militar em Moatize.

MAPUTO - Fernando Bemane explicou que o inquérito, sugerido pela bancada da Renamo, não resolve o problema.

“A Renamo não gosta de ver as pessoas a trabalhar à vontade, de irem à escola. Nós temos na nossa província mais de duas mil crianças que este ano não vão passar de classe, não vão fazer exames, não estão a estudar por causa da acção dos bandidos armados no distrito de Moatize e isso nós repudiamos, depois são eles que dizem vamos criar comissão. Eles são bandidos, o bandido é sempre assim. Bandido nunca reconhece o erro. Mais uma vez pelamos a Renamo para deixar de fazer discursos belicistas. Apelamos ao líder da Renamo, Afonso Dhlakama, como cidadão, a aceitar o convite do Chefe do Estado para dizer o que quer ”- disse Primeiro Secretário da Frelimo, em Tete, citado pela Rádio Moçambique.

O Primeiro secretário provincial da Frelimo em Tete frisou que o problema só terá o seu desfecho quando a Renamo entregar as suas armas às Forças de Defesa e Segurança.[OD]