Nacional

Buchilli diz que extradição de Chang para EUA não satisfaz interesses nacionais

2019-04-26 08:03:06 (UTC+01:00)

A Procuradora Geral da República, Beatriz Buchilli, explicou no parlamento os pressupostos que determinam a batalha movida pela justiça nacional para a extradição do antigo Ministro das Finanças para Moçambique.

MAPUTO- Em resposta a questões levantadas pelo parlamento, Buchilli explicou que “o processo que corre nos Estados Unidos da América (EUA) não satisfaz os interesses da justiça moçambicana” e por isso, há toda a necessidade de ser chamado a responder no país.

“O nosso pedido visa garantir a realização da justiça, tal como é configurada pelas nossas leis, pois, os ofendidos no processo, são o Estado e os cidadãos moçambicanos, que pretendem que o arguido venha responder, esclarecendo os contornos e as circunstâncias de que os factos de que é indiciado ocorreram, bem assim, o eventual ressarcimento pelos prejuízos causados” explicou.

Para Buchilli, só na barra da justiça moçambicana é que os interesses nacionais serão protegidos e salvaguardados, pois, cada justiça defende os interesses da sua própria soberania.

“Estando o arguido acusado e estando os termos a correr nos Estados Unidos da América, por violação das leis americanas, ou por crimes em que são ofendidos cidadãos americanos com relação ao arguido, os interesses nacionais nunca serão alcançados por via da justiça de outro Estado, que neste caso, está em defesa de interesse dos seus cidadãos” realçou a PGR.

Em resposta às correntes que defendem a extradição de Chang para os EUA, um posicionamento que chegou a ser apresentado numa das questões apresentadas pelo grupo parlamentar da Renamo, Buchilli fez questão de frisar que os interesses nacionais estariam afectados.







Fonte:Jornal O Paí